Nova plataforma de blog, bookmark e rede social

Os cofundadores do Twitter, Biz Stone e Evan Willians, apresentaram nesta quarta-feira um novo serviço misto de plataforma de blog, bookmark e rede social.

Chamado Medium, o serviço chega para concorrer com plataformas como Tumblr, Digg e Pinterest. Segundo Willians, páginas encontradas na web poderão ser marcadas e organizadas em coleções, cada um com tema específico – sistema similar ao utilizado pelo Pinterest.

“Acreditamos que um bom design suporta o propósito do conteúdo. Dessa forma, o Medium oferece opções diversas, variando de acordo com o tipo de mídia”, explicou Willians na carta de apresentação do produto.

Seguindo os exemplos apresentados, é possível notar semelhanças estruturais entre os templates do novo serviço e os já utilizados pelo Tumblr.

Por enquanto, usuários do Twitter poderão dar feedback e notas ao Medium. A publicação de conteúdo ainda não está liberada para os usuários.

“Quando você considera que temos publicado no papel por 500 anos e na internet por apenas algumas décadas, fica claro que ainda não descobrimos todas as formas. Estamos no começo ainda”, afirmou Willians, um dos responsáveis pelo lançamento do Blogger em 1999.

Em junho do ano passado, a dupla se desligou do Twitter para reativar a incubadora The Obvious. O Medium surgiu de lá.

Por 

Anúncios

O calcanhar de Aquiles dos blogs corporativos

Qual das opções abaixo é mais importante para o sucesso de um blog?

  1. Layout;
  2. Estrutura;
  3. Plataforma;
  4. URL;
  5. Conteúdo.

Se você escolheu a última opção, claro, acertou.

Para seu blog fazer sucesso ele tem que ter um ótimo conteúdo, seja ele corporativo ou não, certo? Prossigamos.

A maioria dos artigos sobre blogs corporativos costumam dizer: “fazer um blog pra sua empresa é baratinho e você mesmo pode atualizar. Um post por dia já está ótimo. Suas visitas vão aumentar, seu posicionamento no Google também e sua empresa vai vender mais”.

A promessa é: investimento muito baixo, resultado muito alto. Isso cheira a picaretagem. E, me desculpe falar assim, mas é picaretagem mesmo.

Não existe retorno sem investimento

Digamos que você seja rápido, tenha assunto e escreva bem. Parabéns! Você consegue fazer um post interessante em duas horas. Vamos às contas: quanto custa sua hora? Quanto custa 44 horas mensais? Viu? Não é nada barato.

A solução é delegar. Mas para quem? O gerente de marketing não tem tempo. O diretor de vendas, menos. Seus colaboradores que entendem do negócio estão ocupados fazendo-o funcionar. Em quem colocar essa responsabilidade? Bom, algumas empresas colocam o afazer nas costas do estagiário. Mas aí você conhece o resultado.

Eis o calcanhar de Aquiles dos blogs corporativos: quem vai ter tempo, disposição e criatividade para criar um ótimo conteúdo para o blog da sua empresa?

Existem duas únicas soluções; são elas:

  1. Abrir mão de algumas tarefas para se dedicar, você mesmo, ao blog de sua empresa. Provavelmente essa é a escolha mais cara, mas (talvez) seja a mais legal.
  2. A boa e velha terceirização. Existem algumas agências e redatores que fazem isso. Você só precisa dar o famoso “ok” nos materiais que eles produzem. Uma solução não muito cara e (talvez) mais prática.

Você conhece outra solução? Sabe outro jeito de resolver esse problema?

Eu creio sinceramente que não existe solução ideal. Existe a que se adequa melhor ao investimento que cada um pode fazer. Se você tem tempo, invista tempo. Se não tem, precisa investir dinheiro. Uma coisa é fato: blogs corporativos dão resultados.

Mas eis um ponto a se pensar antes até mesmo de propor o blog corporativo na sua empresa: Quem vai criar o tão famigerado “conteúdo relevante”?